Transformação digital do RH: quais são as tendências para 2019?

A transformação digital do RH é uma realidade. O uso de tecnologias chegou ao setor para otimizar as demandas diárias e propor melhorias nas principais atividades, como nos processos de recrutamento e seleção.

O uso de ferramentas que automatizam processos é de extrema importância para que os procedimentos burocráticos sejam simplificados e, dessa forma, os profissionais da área consigam se dedicar a uma atuação mais estratégica e eficiente.

A consequência é a melhoria na qualidade de vida dos trabalhadores e nos resultados da empresa. Portanto, conheça agora quais as 4 grandes tendências do setor para este ano!

1. Inteligência artificial

A automatização de processos para a gestão e procedimentos burocráticos relacionados ao setor é um dos elementos responsáveis pela transformação digital do RH.

Hoje, o profissional não precisa mais levar horas realizando cálculos, enviando documentos e armazenando arquivos. Todas essas atividades podem ser automatizadas, promovendo a otimização do tempo e a segurança no andamento e conclusão dessas ações.

O uso da Inteligência Artificial permite que tudo isso seja feito e, ainda, facilita os processos de recrutamento e seleção, já que a sua função é repetir o comportamento humano por meio de máquinas. Veja alguma das suas aplicações no setor de RH:

  • ao usar a biometria para o registro do relógio de ponto;
  • identificar as características e habilidades de colaboradores e candidatos às vagas, traçando um perfil adequado para exercer uma determinada função;
  • busca e análise de dados via internet;
  • triagem automática de currículos.

2. Big Data e People Analytics

Para aprofundar questões sobre análise de dados, o Big Data e o People Analytics são ferramentas cada vez mais presentes para auxiliar os processos de tomada de decisão baseados em informações reais.

No caso do Big Data, as máquinas coletam um grande volume de dados oriundos de diversas fontes e emitem relatórios e planilhas a respeito deles — por exemplo, informações relacionadas aos colaboradores.

Já o People Analytics é responsável pela coleta, organização e análise desses relatórios gerados pelo Big Data, em que o perfil gerado a partir do comportamento dos indivíduos serve como base para identificar a necessidade de um treinamento, responder a questões a respeito do turnover, utilizar nos processos de recrutamento e seleção para indicar o candidato mais adequado à empresa, entre outras questões.

3. Flexibilização do local e horário de trabalho

O mercado de trabalho e o comportamento do colaborador também tiveram mudanças com o passar dos anos. Se, antes, a procura maior era por estabilidade; hoje, o interesse está em uma política de benefícios atrativa e uma jornada flexível.

Isso só é possível graças aos avanços tecnológicos. Hoje, sistemas de gestão em nuvem permitem que o trabalho seja executado via home office, modalidade em que o colaborador não precisa estar no ambiente físico da empresa para desempenhar suas funções.

A prática só traz benefícios. Quando a organização oferece acesso remoto aos seus sistemas e recursos, a tendência é que o profissional desenvolva seu trabalho com mais produtividade e criatividade, já que pode laborar em um local mais inspirador.

Um dos fatores que permitem que o trabalho seja realizado em locais flexíveis é proveniente de um elemento que faz parte da transformação digital do RH: o controle de ponto online.

Atualmente, é possível que o contratado registre a sua jornada de trabalho do próprio smartphone. Isso significa que é possível ter um registro da quantidade de horas diárias trabalhadas, e, se o profissional estiver com as suas obrigações em dia, nada impede que execute as tarefas em qualquer lugar, a sua escolha.

4. Employer branding

Na transformação digital do RH, uma estratégia puxa a outra. É o caso da flexibilização do local e horário de trabalho, apontado no tópico anterior. Ao adotar essa modalidade de trabalho, a empresa constrói uma imagem positiva como empregadora e se torna o ideal de muitos profissionais altamente capacitados no mercado.

Hoje, é possível apostar no uso de softwares para divulgar vagas, recrutar talentos e aplicar técnicas de gamificação em treinamentos, entre outras ações que fazem os indivíduos criarem uma certa simpatia pela empresa.

As medidas que visam aumentar a visibilidade nesse sentido são chamadas de employer branding, tendência a ser utilizada como um dos ativos para atrair e manter profissionais habilidosos, engajados e motivados nas empresas.

Um dos grandes responsáveis por todas essas inovações se chama Vale do Silício, região situada no estado da Califórnia, mais precisamente em São Francisco, nos Estados Unidos, que engloba cidades como Palo Alto, San José, Santa Clara e Union City.

O Vale do Silício é reconhecido por abrigar as grandes empresas, como a Microsoft e o Facebook, e startups de tecnologia e computação, se estabelecendo como o berço das inovações mundiais. O computador que você está usando hoje provavelmente saiu de lá, assim como aplicativos populares no mundo todo.

O Uber é um deles e pode, inclusive, ser usado pela sua empresa. No lugar de pedir um táxi ou contratar um motorista para levar um executivo ao aeroporto, o Uber pode ser chamado, e a corrida, descontada diretamente no cartão empresarial — ações que, de uma forma ou de outra, também podemos atribuir à transformação digital do RH.

É importante salientar que essas ações só são possíveis de ser implementadas se a empresa estiver aberta aos benefícios que essas ferramentas podem trazer e incentivar um trabalho mútuo entre os departamentos de recursos humanos e TI.

Quando trabalham juntos, em plena sintonia, eles têm o poder de implementar uma cultura de inovação na organização, trazendo todos os benefícios provenientes desses recursos, que foram desenvolvidos para facilitar a rotina e promover os melhores resultados para o negócio como um todo.

A transformação digital do RH está acontecendo a todo vapor, inclusive neste exato momento em que você se dedica à leitura deste artigo. Corporações adotam novos métodos o tempo todo, e é preciso considerar que, talvez, o seu concorrente esteja fazendo um investimento na área. Isso significa que resistir a essas mudanças pode fazer o seu negócio ficar para trás.

Se você achou o nosso artigo interessante, mas ainda não se convenceu dos benefícios da tecnologia, confira agora mesmo as 8 vantagens em utilizar um software de recrutamento e seleção. Até breve!

Previous Post
Next Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *