A evolução tecnológica já é uma realidade em todos os segmentos de negócio. Nesse contexto, um setor que se transformou com a inovação foi o de gestão de pessoas — que deixou de ter um papel somente operacional para assumir uma posição estratégica dentro das empresas. É o chamado RH inteligente.

Atualmente, vivemos a quarta revolução industrial, com o avanço da automação e conectividade. É a era digital, marcada por melhorias em todos os departamentos das organizações, principalmente o de recursos humanos — que conta com novas ferramentas para integrar pessoas, otimizar programas de seleção e recrutamento e facilitar as rotinas de trabalho.

Quer entender em detalhes quais os impactos que a tecnologia de gestão de pessoas trouxe para as empresas? Confira nosso post!

Os impactos da tecnologia no RH

Uma gestão de talentos eficiente ainda detém os mesmos objetivos do passado. No entanto, as mudanças decorrentes da Indústria 4.0 são uma realidade e mudaram a forma de gerir os colaboradores. Por isso, é fundamental que as empresas invistam no RH inteligente.

De um modo geral, a tecnologia impacta e modifica todos os setores e departamentos do mundo corporativo. Confira agora as principais mudanças relacionadas às atividades ligadas aos profissionais envolvidos com recursos humanos e departamento pessoal.

Automatização das atividades repetitivas

Quando pensamos no setor de RH, logo lembramos de uma pilha de formulários sobre a mesa e de processos burocráticos para resolver, mas essa é uma cena que ficou no passado. Agora, é a vez do RH inteligente, que dispensa papéis e utiliza ferramentas digitais para tornar essa rotina mais leve e prazerosa.

Os profissionais ganham tempo com o uso de softwares específicos para o setor, que centralizam as informações dos colaboradores e permitem o acesso rápido a documentos. Realizam, ainda, preenchimentos e cálculos automáticos, entre outras funções que facilitam os processos de gestão de pessoas.

Além de otimizarem as rotinas do setor, essas ferramentas garantem a segurança dos dados.

Por tudo isso, a tecnologia aumenta a produtividade dos profissionais de RH e permite que eles assumam funções voltadas ao gerenciamento direto das equipes — como a realização de treinamentos, pesquisas e eventos internos, elaboração de estratégias para retenção de talentos e outras ações junto aos colaboradores.

Eficiência no processo de recrutamento e seleção

Sabemos como é custoso e demorado para as empresas encontrar o colaborador ideal — com qualificação e perfil condizentes com a vaga e cultura da organização. Muitas vezes, a análise do currículo e a entrevista tradicional não são suficientes para identificar o candidato mais adequado.

Nesse aspecto, o RH inteligente pode ser considerado um importante avanço, pois proporciona agilidade e mais precisão no recrutamento e seleção.

Tudo é feito em uma plataforma digital que utiliza inteligência artificial nos processos e que consegue identificar um perfil de comportamento do candidato — seja ao apontar as emoções em entrevistas por vídeos ou pela capacidade de interação em jogos virtuais que simulam situações reais.

Essas informações são cruzadas com as especificações da vaga, possibilitando que a empresa contrate o profissional mais indicado para o cargo oferecido.

Esse sistema apresenta uma série de vantagens para o RH, como:

  • facilidade na abertura de vagas;
  • menor tempo para a realização das etapas de seleção — atendendo a demanda da empresa de forma mais rápida;
  • customização de processo seletivo;
  • redução dos custos para o recrutamento;
  • possibilidade de encontrar talentos em diferentes localidades, já que os candidatos podem participar do processo sem a necessidade de se deslocar, podendo utilizar o notebook ou smartphone em todas as fases de seleção, inclusive na admissão;
  • facilidade para a empresa dar feedback aos candidatos que não foram selecionados e, também, aos que evoluíram no processo seletivo;
  • diminuição da rotatividade (turnover), visto que o candidato tem as características pessoais e profissionais mais adequadas à vaga. Assim, os custos com novas contratações e treinamentos também são reduzidos.

Além disso, como todas as etapas do recrutamento são automatizadas, os profissionais do RH podem direcionar seus esforços para outras demandas da empresa — como o desenvolvimento de novos projetos para a comunidade interna ou análise da performance dos colaboradores.

Melhora na comunicação interna

A tecnologia pode facilitar a comunicação dentro da empresa, o que vai melhorar a circulação da informação tanto de modo vertical, das diretorias para colaboradores, quanto horizontal, entre os colaboradores e equipes.

Com isso, os funcionários têm clareza sobre o seu papel na organização — além da missão e valores da empresa. Outra questão importante é que, ao abrir canais de comunicação acessíveis para o seu quadro de funcionários, é possível descobrir suas queixas, dar feedbacks e trabalhar para melhorar a estrutura e o clima organizacionais.

O uso da tecnologia vai, ainda, promover a interação entre as equipes e evitar fofocas que poderiam gerar intrigas e mal-estar dentro da empresa.

Transparência das informações

O RH digital também modifica a forma de relacionamento com os colaboradores ao disponibilizar de modo transparente as informações de seu interesse — como dados de frequência, indicadores de desempenho, folha de pagamento, férias e benefícios.

De um jeito rápido, é possível obter esses dados detalhados digitalmente sem que o colaborador precise se deslocar até o setor de recursos humanos.

Atuação mais estratégica do RH

Com a automação dos processos, a rotina burocrática do RH fica descomplicada, e o setor pode ter uma atuação mais estratégica, alinhada aos resultados da empresa. Os profissionais podem analisar o perfil e desempenho dos colaboradores com metodologias específicas — como o People Analytics — para entender, por exemplo, o que os torna mais engajados e produtivos.

A ideia é coletar, organizar e analisar as informações sobre comportamento e desenvolvimento interno dos colaboradores, pesquisas, indicadores e outras fontes que permitam identificar melhor o perfil de cada um.

Quando o RH assume essa postura, auxilia na tomada de decisões dos gestores para: contratar ou desligar profissionais, direcionar um colaborador com capacidade de liderança para uma função mais adequada — atendendo, assim, às necessidades do negócio —, oferecer treinamentos direcionados ou redistribuir as demandas entre as equipes.

O setor pode, também, aprimorar o clima organizacional ao prever atritos entre profissionais ou outros problemas que possam afetar a produtividade.

Os desafios do RH inteligente

Você já sabe que o RH funciona como um setor-chave dentro das organizações. Por lidarem com a gestão de talentos, os profissionais responsáveis precisam estar antenados às tendências de capacitação e ferramentas que possam otimizar as atividades e garantir melhores resultados para a empresa como um todo.

A competitividade do cenário atual faz com que a atuação do setor de recursos humanos seja ainda mais desafiadora. São várias transformações diárias, avanços tecnológicos e novos modelos de trabalho, que impactam diretamente a retenção de talentos e a lucratividade do negócio.

Para ajudá-lo a ficar por dentro das tendências do mercado, separamos alguns dos maiores desafios para uma atuação mais estratégica e inteligente.

Retenção de talentos

Não importa o período vivenciado pelas corporações, a retenção de talentos sempre será um dos grandes desafios de RH. Manter uma equipe motivada demanda planejamento e estratégias sólidas.

Nessa perspectiva, o primeiro ponto que merece atenção é a cultura organizacional. Toda empresa precisa ter um objetivo que vá além da lucratividade, exigindo uma postura relacionada a esse propósito. Só o discurso não basta. Ações, políticas e uma liderança bem construída são fundamentais para que os colaboradores sintam que a organização está focada em cumprir essa missão.

Se não há essa preocupação, a empresa pode ver a sua credibilidade como empregadora diminuir junto ao engajamento da equipe. Aqueles que foram atraídos pela proposta de valor podem se sentir enganados e buscar uma oportunidade compatível com seus desejos em outro local.

E a tecnologia pode ser utilizada nesses processos. Um bom exemplo são os treinamentos a distância, realizados por meio de plataformas virtuais, que são uma maneira consistente de desenvolver o potencial das equipes. Quando atrelados a um plano de cargos e salários, motivam os trabalhadores a evoluírem suas habilidades em prol de um melhor posicionamento dentro da empresa.

Flexibilidade de horário e local de trabalho

Uma nova geração de trabalhadores está invadindo o mercado com demandas às quais muitas empresas ainda não estão acostumadas. A adaptação a esses novos modelos de trabalho está se tornando uma necessidade.

Atualmente, uma das prioridades dos profissionais é ter um emprego que proporcione satisfação, qualidade de vida e equilíbrio entre as questões pessoais e profissionais, o que fez do home office e da flexibilidade de horários duas tendências para o RH.

Isso se deve à tecnologia. A internet permite o armazenamento de documentos, arquivos, programas e projetos na nuvem, possibilitando o regime de trabalho remoto.

Por outro lado, uma jornada de trabalho bem delimitada é cada vez menos valorizada. Gestões inteligentes já perceberam que o que importa é a qualidade e prazo de entrega de um trabalho, e não a carga horária exercida pelo profissional.

A adaptação a essa realidade pode ser um desafio, já que os profissionais do RH ainda estão muito ligados à ideia de um rígido controle do relógio ponto. É preciso, em primeiro lugar, mudar essa cultura, enxergar o desempenho do profissional e ver a assiduidade como produtividade, e não pontualidade.

Banco de talentos

Um dos grandes desafios do RH inteligente é criar um banco de talentos que possibilite fazer contratações realmente eficientes, atraindo profissionais altamente capacitados e compondo equipes de máximo desempenho.

Se a Indústria 4.0 promoveu a automatização dos sistemas e a otimização das rotinas tradicionais e transformou um departamento burocrático em estratégico, é evidente que suas transformações também impactaram outras atividades dentro de uma empresa. Com isso, valoriza-se cada vez mais uma gestão preparada e qualificada.

Assim como o RH, outros departamentos também devem assumir a realização de atividades mais estratégicas, o que exige conhecimento e afinidade com ferramentas tecnológicas e inovadoras.

Acompanhar esse novo perfil do mercado de trabalho é desafiador. Além de atentar para essas mudanças para acertar em novas contratações, é preciso desenvolver meios de qualificar os atuais contratados para essa realidade e, assim, garantir a vantagem competitiva no mercado.

Desenvolvimento de líderes

Desenvolver líderes é uma prática fundamental para que os projetos de uma empresa possam ser continuados no futuro. Quando uma organização não se preocupa em manter um padrão contínuo de novas lideranças, corre o risco de ficar estagnada quando a alta cúpula atual for desligada — por vontade própria, aposentadoria ou qualquer outro motivo.

Identificar os talentos com esse potencial e desenvolvê-los é desafiador, uma vez que as características de líderes em potencial podem ser facilmente confundidas. Por exemplo, perfis de liderança costumam ser comunicativos, o que pode ser apenas uma das características de um profissional simpático.

Mas o desafio não vem apenas em acertar na aposta. É preciso tirar esses profissionais da zona de conforto; do contrário, as habilidades podem ficar eternamente adormecidas.

Uma das formas de fazer isso é investir no job rotation, uma prática em que um colaborador passa por diversas áreas da empresa em um período de tempo preestabelecido, aprendendo como vários setores funcionam e mostrando a sua atuação em cada um deles.

Superação de desafios com treinamento e tecnologia

Como você pôde notar, a tecnologia anda lado a lado com o RH inteligente — tanto nas mudanças, quanto nos desafios. Se não fosse a evolução proporcionada pela era digital, as transformações, provavelmente, seriam mais lentas, e muitas nem existiriam.

Nesse sentido, é fundamental se adequar a essa nova realidade. Estar atualizado às tendências do mercado, investir em capacitações que colaborem para assumir essa nova postura e adquirir ferramentas tecnológicas que permitam que as questões aqui abordadas sejam uma realidade dentro da empresa é imprescindível para alcançar resultados positivos e captar os maiores talentos do mercado.

O RH inteligente veio para atender às necessidades dessa era digital e, por isso, utiliza ferramentas tecnológicas para otimizar todo o setor — principalmente nos processos de recrutamento e seleção de candidatos. Com isso, consegue redirecionar seu papel na empresa, atuando de forma estratégica para melhorar os resultados do negócio.

Este artigo foi útil para você? Quer continuar acompanhando como a tecnologia pode mudar e melhorar as rotinas do setor de RH? Fique por dentro das nossas atualizações curtindo o perfil no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn. Esperamos por você!

Escreva um comentário