Para sair na frente da concorrência e melhorar os resultados, as empresas precisam de talentos que tragam inovação. A geração Z, por exemplo, está concluindo a faculdade e entrando no mercado de trabalho, tornando-se um público com grande potencial para colaborar no crescimento dos negócios.

Mas como lidar com esses novos profissionais? Como oferecer um ambiente atrativo e evitar o turnover? Muitos gestores enfrentam dúvidas como essas e ainda estão se adaptando a geração Z — que traz ideias novas, mas também um novo ritmo e significado ao trabalho.

Se você também quer saber quem são esses profissionais, as suas características e como acertar ao contratá-los, confira o nosso post!

Quem faz parte da geração Z?

A geração Z engloba os nascidos entre meados da década de 1990 e 2010. São pessoas que cresceram cercadas pela tecnologia, ou seja, não vivenciaram o mundo offline — não é à toa que podem ser chamadas pela expressão “nativos digitais”.

Quando pensam em carreira, muitas diferenças ficam evidentes na forma como eles encaram o trabalho — em comparação com as gerações X e Y. Por isso, a contratação e retenção desse público tornam-se desafios para muitas empresas.

São jovens com um perfil procurado pelos gestores, já que têm muito a agregar à rotina empresarial. Eles vêm com uma nova mentalidade para o ambiente corporativo e a possibilidade de inovar, contribuir verdadeiramente para os bons resultados dos negócios.

Quais são as suas principais características?

Quer entender melhor o perfil da geração Z? Veja a seguir.

Dinamismo

Tratam-se de pessoas acostumadas com a velocidade das informações e o imediatismo proporcionado pelo mundo conectado. Por isso, são profissionais dinâmicos e que prezam pela agilidade no desenvolvimento de suas atividades.

Outra característica marcante da geração Z é a multitarefa. Eles procuram, por exemplo, mandar uma mensagem enquanto escutam música, então podem desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo. Isso, por um lado, é um aspecto positivo, pois acelera o ritmo de trabalho; por outro, pode significar uma concentração menor em determinadas atividades.

Empreendedorismo

A geração Z quer fazer acontecer, corre atrás de projetos e buscar meios de executá-los. Esses jovens profissionais não desejam que as empresas guiem suas vidas. Pelo contrário, eles buscam autonomia para crescer em uma carreira que traga satisfação pessoal, e não somente reconhecimento financeiro.

Exigência

Os profissionais da nova geração querem encontrar um local de trabalho ideal, onde possam fazer o que amam. Dessa forma, o comportamento dessa geração é marcado pela exigência. Eles não querem se submeter a regras ou horários rígidos. Caso se sintam insatisfeitos, não consideram um problema mudar de empresa quantas vezes for preciso.

Autonomia

São profissionais que podem agregar muito valor à empresa, mas também querem executar suas tarefas com autonomia. Eles gostam de liberdade para conseguir usar ao máximo a criatividade e oferecer soluções inovadoras para o negócio.

Como acertar na contratação desses profissionais?

É preciso que as empresas modifiquem se atentem a algumas condutas na hora de contratar esses candidatos. Acompanhe, abaixo, dicas para atrair talentos da geração Z.

Anúncios no ambiente digital

Os jovens da geração Z vivem conectados, portanto, a melhor maneira de fazer a vaga ser vista é anunciar em meios digitais, por meio de um software de recrutamento.

O recrutamento a distância pode ser feito de diferentes maneiras. Em todas elas, é importante se atentar à descrição do cargo, pois é essencial dar detalhes sobre a empresa, o tipo de trabalho e a cultura organizacional, para que o anúncio atraia aqueles que se adaptarão ao ambiente corporativo oferecido.

Para o processo seletivo, vale adotar recursos online, como entrevistas virtuais — um meio com o qual esses jovens já estão bastante acostumados.

Plano de carreira

É claro que a geração Z almeja salários atrativos. Por outro lado, mais que isso, ela deseja crescer na sua carreira, o que pode ser consolidado com um plano de carreira oferecido pela empresa aos novos contratados.

Vale ressaltar que são jovens com perfil empreendedor, então, se vislumbrarem a possibilidade de alcançar um cargo maior no emprego, poderão dar o melhor de si para a empresa.

Flexibilidade de horários

Estipular um expediente das 8h às 18h é uma regra que não combina muito com esses profissionais. Não é por que eles querem trabalhar menos, mas é pelo fato de gostarem de se sentir livres para executar suas funções.

Dessa forma, se você busca colaboradores da geração Z, repense os horários, considere a adoção de jornadas mais flexíveis e, caso a atividade permita, invista no home office. Você terá profissionais mais satisfeitos, engajados com a empresa e comprometidos com bons resultados.

Autonomia para realizar atividades

Além da flexibilidade na jornada de trabalho, é preciso deixar esses profissionais realizarem suas atividades com certa autonomia. Dessa maneira, eles podem “pensar fora da caixa” e fazer a diferença nos projetos da sua empresa. É claro que a supervisão é importante, mas ela não pode sufocar o colaborador.

Estímulo à colaboração 

A geração Z cresceu com a internet e com uma visão positiva do trabalho colaborativo. É só pensar nas redes sociais, em que as opiniões são discutidas e compartilhadas por um grande número de pessoas. Desse modo, a sua empresa só tem a ganhar ao estimular a colaboração entre os profissionais.

O trabalho em equipe pode ser bastante enriquecedor para a rotina da empresa, ao unir colaboradores de diferentes gerações, pois um público pode aprender muito com o outro.

Menor restrição à internet

A internet sempre foi vista como um meio de distração em boa parte das empresas. Mas isso é algo que precisa mudar ao pensar na contratação desses novos profissionais: eles vivem conectados, e os dispositivos móveis são ferramentas que já não podem viver sem.

Por isso, é essencial repensar a cultura da organização e não manter uma postura totalmente restrita a essa questão. É importante deixar claro que a internet pode ser usada para fins profissionais. Muitas vezes, o jovem pode encontrar a solução para o problema navegando nas redes sociais.

Quer obter mais representantes da geração Z no seu time? São profissionais que modificam o ambiente organizacional, trazendo novas ideias e pontos de vista abertos. Vale lembrar que é importante utilizar ferramentas digitais de recrutamento para atingir o público certo e conseguir contratar pessoas alinhadas ao fit cultural da empresa.

Gostou do nosso post e quer receber outros temas como este? É só assinar a nossa newsletter!

Escreva um comentário