Uma contratação errada resulta em diversos tipos de prejuízos à empresa, ao time e ao profissional em questão. Exatamente por isso, de ponta a ponta no processo, é preciso fazer uma seleção de sucesso.

Contratar bem depende de muitos aspectos, e é preciso analisar o alinhamento entre os valores da organização e do candidato. Também é necessário contar com boas tecnologias, que automatizem parte da contratação.

Nos próximos tópicos vamos explicar quais são os principais prejuízos da contratação errada e como evitar problemas ao longo desse processo. Acompanhe!

Quais são os 5 maiores prejuízos da contratação errada?

Existem alguns aspectos que são mais importantes do que outros na hora de fazer a contratação de profissionais, e não prestar atenção nesses detalhes pode ser prejudicial à empresa. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

1. Baixa produtividade no trabalho

Em termos gerais, o ambiente de trabalho já é considerado pouco produtivo. Um estudo afirma que apenas 39% do expediente é realmente aproveitado, e o tempo restante é perdido com atividades desnecessárias.

Uma contratação errada pode tornar o quadro ainda pior. Se o recém-contratado não conta com as competências técnicas e comportamentais para fazer parte do time, provavelmente vai entregar resultados abaixo do ideal.

O problema não para por aí, afinal, “uma maçã podre estraga toda a cesta”. O baixo rendimento poderá ser um parâmetro para o time, que trabalhará menos e pior ao fim de cada mês. Logo, toda a produtividade é lesada.

2. Desconstrução da equipe de funcionários

Um grupo refere-se ao coletivo humano, isto é, várias pessoas no mesmo lugar. No entanto, a equipe é algo mais sensível, pois é preciso de um claro senso de direção, habilidades complementares e confiança mútua.

Ao contratar um candidato com pouca aderência à equipe de trabalho, estará prejudicando o próprio time, terá dificuldades no processo de integração e poderá promover o desligamento de outros talentos.

Por esse motivo, em vez de construir uma equipe de alto desempenho, estará iniciando um processo oposto, de desconstrução. Dessa forma, o recém-contratado e o restante do time não terão alinhamento — o que é um grave problema.

3. Custos legais e operacionais

Demitir um funcionário pode custar até um ano do salário do profissional. Isso significa que a empresa terá altos custos operacionais e legais, o que compromete o orçamento do RH e a rentabilidade de todo o empreendimento.

Pense nos custos de demissão: FGTS acrescido de multa, 13º salário e férias proporcionais, aviso prévio, além do risco de se envolver em empasses judiciais e da alta burocracia na hora do desligamento.

O RH também terá que abrir um novo processo de contratação, o que custa tempo e dinheiro. Ao longo desse novo período, o time de trabalho poderá ficar sobrecarregado, abrindo espaço para que erros aconteçam.

4. Degradação da marca empregadora

Mesmo sem perceber, toda empresa tem uma imagem que é transmitida para os profissionais que estão no mercado de trabalho. Essa imagem pode ser boa ou ruim, o que influenciará na atração de novos talentos.

No geral, a demissão de profissionais recém-contratados não é algo bom para a imagem da empresa. Se isso ocorre frequentemente, o problema pode ser ainda pior e degradar a marca da organização.

Por outro lado, ao recrutar bem, a empresa estará integrando novos talentos, que poderão ficar por vários anos e criar uma marca empregadora atraente. Ou seja, os novos processos de seleção serão beneficiados.

5. Piora no clima organizacional

Desligar um profissional não é um momento fácil, seja para o especialista em RH, seja para o recém-contratado ou o time de trabalho. Isso ocasiona um ambiente de tensão e, por consequência, prejudica o clima organizacional.

Pense no clima como a “atmosfera” do local de trabalho: ela pode ser boa, gerando ânimo e satisfação, ou pode ser ruim, resultando na desmotivação e no descompromisso dos colaboradores.

Quando os profissionais começam a ser desligados, cria-se um clima de insegurança e instabilidade. Mesmo os profissionais com mais tempo de casa acabam achando que podem ser demitidos a qualquer momento, o que resulta em um clima tóxico.

Como evitar erros na contratação?

Tenha um processo bem desenhado

Como quase tudo o que é importante nos negócios, a boa contratação é um processo. Há um passo a passo que vai da abertura da vaga até a triagem dos currículos mais promissores, resultando na contratação.

Por isso, aproveite para estudar e esclarecer o processo de contratação. Como ele funciona? Quem deve estar envolvido? Quais resultados devem ser alcançados? Desenhe um processo que responda essas questões.

Busque pelo fit cultural

Muitos gestores não se dão conta, mas não basta considerar as competências técnicas (como formação ou experiências anteriores) para encontrar e contratar o profissional certo. É preciso ir mais fundo.

O indicado é buscar pelo fit cultural, isto é, uma espécie de alinhamento entre a cultura organizacional e os valores do candidato. Nesse caso, também é preciso buscar por competências comportamentais específicas.

Monitore os indicadores de desempenho

Há muitos indicadores ligados à seleção de pessoas. Eles podem informar se o processo foi bem planejado e executado ou se precisa de ajustes pontuais, tornando o RH ainda mais estratégico e acertado.

Por esse motivo, estabeleça um conjunto de indicadores que representem o sucesso da seleção. Tempo médio para contratação, turnover de recém-contratados e número de candidatos por vaga são bons exemplos.

Qual é a importância da tecnologia para a seleção?

Ao longo de todo o processo de recrutamento e seleção, a tecnologia desempenha um papel-chave para o sucesso. Ela torna todo o processo mais ágil e acertado, permitindo a criação de um RH estratégico.

Não por acaso, segundo a Deloitte, 56% das empresas estão redesenhando seus processos de gestão do capital humano para aproveitar ferramentas digitais, como softwares de seleção e análise comportamental.

O uso da tecnologia também permite que o RH automatize as tarefas mais repetitivas — como a triagem de currículos — e foque no que realmente importa: a gestão estratégica de pessoas. Assim, terá ótimos resultados.

Como você pôde observar, a contratação errada provoca os mais diversos tipos de prejuízos — prejudica a marca da empresa, a produtividade do time e gera gastos extras, para citar exemplos. O correto planejamento da seleção e a integração de tecnologias de ponta, como o software de contratação, podem ser ótimas soluções.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para entrar em contato conosco e descobrir as melhores soluções para a sua empresa!

Escreva um comentário