A concorrência no mundo corporativo está cada vez mais acirrada. Novos processos e ferramentas aparecem o tempo, e quem não se atualiza, pode ficar para trás. Neste cenário, utilizar o People Analytics e o Big Data no recrutamento e seleção garante contratações mais alinhadas à realidade do negócio e do seu segmento de atuação.

Tudo porque o capital humano é um elemento fundamental para manter a vantagem competitiva das empresas, fazendo da análise de dados um instrumento fundamental não só para as atividades de RH, como da empresa como um todo. Acompanhe a leitura deste artigo e saiba mais sobre a aplicação do People Anlytics e Big data pelo RH.

O que é People Analytics e Big Data?

Para entender como o People Analytics e o Big Data no recrutamento e seleção podem aumentar a produtividade das equipes, diminuir a rotatividade e elevar os seus resultados, é preciso saber do que se trata essas ferramentas.

Enquanto o Big Data envolve um conjunto de técnicas para a captação e armazenamento de um grande volume de dados, coletados de diversas fontes, o People Analytics funciona como um complemento, capaz de organizar e interpretar as informações reunidas.

O People Analytics não é uma ferramenta em si, mas a metodologia usada para guiar a análise de dados e sustentar decisões que envolvem a gestão de pessoas.

É muito importante utilizar as duas abordagens de maneira combinada. Números soltos não dizem muita coisa; para trazer as vantagens esperadas, é preciso que eles sejam organizados e decifrados, otimizando os processos de gestão em Recursos Humanos.

Assim, gestores, líderes e demais executivos podem tomar decisões seguras em relação ao capital humano do negócio.

Como essas tecnologias funcionam no recrutamento e seleção?

O People Analytics e Big Data são metodologias extremamente úteis quando usados nos processos de recrutamento e seleção de candidatos; para que possam cumprir as suas funções, é importante que a gestão de pessoas trace o perfil ideal de colaborador a partir dos profissionais que estão na empresa.

Com isso, veja, a seguir, como as duas abordagens podem ajudar.

Rastrear informações do candidato

Os currículos que chegam à empresa e os perfis dos candidatos nas redes sociais possuem dados que podem ser coletados pelo Big Data e analisados pelo People Analytics.

Essas informações são calculadas de acordo com as perguntas feitas ao People Analytics. As respostas contribuem para que as decisões sejam tomadas com segurança, uma vez que toda informação gerada é segura e muito bem embasada.

Encontrar os melhores candidatos

Encontrar os melhores candidatos está relacionado à qualidade do processo de recrutamento e seleção. Não se trata de simplesmente verificar se o candidato atende a uma lista de prioridades, mas de estabelecer um perfil com competências que o tornam eficiente para o cargo. Nesse sentido, o uso do Big Data permite:

  • verificar se as experiências de trabalho do candidato são relevantes;
  • perceber se o profissional é capaz de permanecer na empresa a longo prazo;

A análise deve ser personalizada de acordo com as necessidades do negócio, tanto para a contratação quanto para o treinamento desses profissionais.

Realizar a análise comportamental

O mercado já conta com recursos criados para realizar a análise comportamental dos candidatos por meio de uma metodologias eficientes, permitindo que a empresa identifique os candidatos que podem agregar valor as equipes e apresentam habilidades úteis para os cargos em aberto.

As ferramentas mais eficientes também permitem a geração e análise de dados para definir com segurança os temas que devem ser abordados em treinamentos corporativos.

Quais são as vantagens?

Até aqui, vimos algumas aplicações do People Analytics e Big Data no recrutamento e seleção de candidatos. Para que você não fique com nenhuma dúvida sobre o uso dessas abordagens, separamos, logo abaixo, as suas principais vantagens:

Contratações mais acertadas

Uma das grandes vantagens do uso de People Analytics e Big data está na contratação. Como o processo é todo embasado em dados reais, a tendência é que os candidatos com o fit cultural alinhado ao da empresa entrem para o seu time.

Além de aumentar a qualidade dos processos internos, contratações eficientes facilitam a retenção de talentos e reduzem a taxa de rotatividade de pessoal (turnover), índice que precisa estar sempre em baixa. Afinal, substituir funcionários que se desligaram exige custos com treinamento e integração dos novos contratados.

Redução de erros operacionais

O setor de Recursos Humanos conta com um orçamento que, como nos outros setores, deve ser aplicado com inteligência. Um mau gerenciamento decorrente de erros operacionais pode comprometer a gestão de pessoas e contribuir para a insatisfação dos colaboradores.

O Big Data é um dos recursos mais valiosos para identificar equívocos e lacunas nas operações de uma empresa. Ele contribui para que o RH tenha uma atuação muito mais eficaz, a partir de escolhas bem embasadas e custos bem direcionados.

O impacto positivo não está somente no bolso. Erros relacionados à gestão de pessoas podem, inclusive, levar o empreendimento a responder ações judiciais de colaboradores que sentiram que seus direitos foram violados.

Além dos custos gerados por um processo, a imagem da empresa como empregadora pode ficar manchada, dificultando a atração de talentos e, consequentemente, a formação de equipes de alto desempenho. Portanto, gerenciar custos e outros processos internos livra a empresa de sérios problemas.

Maior controle dos processos

O uso do Big Data aliado ao People Analytics aumenta a eficiência operacional da equipe e garante maior controle sobre os processos. E com bom sistema de RH, as atividades que fazem parte da rotina do setor também podem ganhar mais eficiência, no cálculo de folha de pagamento, programação de férias, gestão de benefícios etc.

Manter-se em dia com relação às tendências tecnológicas é uma atividade essencial para quem atua no RH. O People Analytics e Big Data no recrutamento e seleção são bons exemplos de metodologias que envolvem as ferramentas tecnológicas da empresa e contribuem para a sua competitividade no mercado.

Gostou das dicas? Outro tema fundamental para quem atua no RH é o uso de tecnologias para recrutar e selecionar candidatos à distância: saiba agora como a entrevista digital contribui para a gestão de pessoas.

Escreva um comentário