Inteligência emocional e liderança: entenda essa relação

Para manter as equipes motivadas e um clima agradável no ambiente de trabalho, inteligência emocional e liderança devem andar de mãos dadas. Um bom líder deve ser capaz de controlar suas próprias emoções e compreender os sentimentos dos outros e entender como esse mix de sensações impacta de forma direta no desempenho das equipes.

Este post apresenta a relação entre a liderança e o conceito de inteligência emocional, as principais características de um bom líder e revela por que é importante que uma pessoa que assuma esse tipo de cargo esteja preparado para a liderança. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

A relação entre inteligência emocional e liderança

A inteligência emocional e liderança estão diretamente relacionadas justamente pelos seus conceitos. Um indivíduo emocionalmente inteligente tem uma habilidade admirável: entende as próprias emoções e sabe lidar com elas. Mais do que isso, ele é capaz de assumir a mesma postura diante dos sentimentos dos outros.

O papel do líder é transformar o ambiente corporativo por meio de diversas ferramentas. Uma delas é a valorização do capital humano e intelectual. E a inteligência emocional é imprescindível para que ele consiga mediar essa relação.

Dentro de uma empresa, os profissionais estão expostos a condições que não são favoráveis a produtividade e a motivação. Estresse, cobrança, pressão e frustração podem fazer parte da rotina, influenciando o desempenho das equipes de forma negativa.

Por isso, quem assume um cargo de liderança deve estar pronto para entender e equilibrar as emoções dos colaboradores.

As principais características de um bom líder

Um bom líder deve apresentar um conjunto de características que estão relacionadas a inteligência emocional. Conheça as principais.

Autoconhecimento

Partindo do conceito da inteligência emocional revelada no tópico anterior, líderes emocionalmente inteligentes tem a habilidade de reconhecer suas próprias emoções conforme elas vão se desenvolvendo dentro deles.

Essa capacidade é fundamental para que o indivíduo consiga manter o controle em qualquer situação, demonstrando segurança e equilíbrio aos liderados e atuando de maneira eficiente na mediação de conflitos.

Como o líder é um exemplo a ser seguido, a maneira como se comporta diante dos fatos acaba influenciando positivamente na postura das equipes.

Espírito de equipe

Quem trabalha com a gestão de uma equipe deve ter jogo de cintura para lidar com as mais diversas situações.

Mediar conflitos, saber se relacionar com o grupo, saber delegar tarefas, reconhecer que os resultados foram alcançados pelo grupo e não pela sua postura em particular são habilidades que influenciam diretamente na produtividade.

A satisfação de um grupo de pessoas que tem o seu trabalho reconhecido na estrutura de uma equipe e mantém um bom relacionamento tende a aumentar e, consequentemente, o engajamento e a motivação também.

Comunicação

Grandes líderes tem uma habilidade valiosa: a da comunicação. Sem saber como conversar, a hora certa de falar e o que dizer, fica impossível construir bons relacionamentos, delegar funções e, às vezes, dar um feedback negativo.

É preciso ter o dom das palavras. Isso contribui diretamente na resolução de conflitos e na valorização da equipe.

Quando desenvolve a inteligência emocional, o líder é capaz de identificar os sentimentos dos liderados e identificar o tom mais adequado e o que deve saber abordado em cada situação.

A importância de estar preparado para a liderança

A liderança é um papel desejado por muitos profissionais, no entanto, isso não significa que seja uma tarefa fácil ou ainda, um talento nato. É preciso estar preparado para assumir o cargo, e essa preparação tem tudo a ver com a inteligência emocional.

Afinal, para se preparar, é preciso buscar conhecimento sobre gerir uma equipe, motivar colaboradores e mediar conflitos. Ou seja, é preciso desenvolver as aptidões de pessoas consideradas emocionalmente inteligentes.

Dito isso, como é possível desenvolver a inteligência emocional para ser um bom líder? Veja essas dicas.

Gerencie suas emoções negativas

Já parou para refletir como você lida com suas emoções negativas? Situação de raiva, estresse ou cansaço extremo muitas vezes são difíceis de controlar. No entanto, quando você é capaz de gerenciar e reduzir esses sentimentos, menos fica sobrecarregado.

Um exercício muito eficiente para gerenciar as emoções, desenvolvendo a inteligência emocional para se tornar um bom líder é assumir uma postura de observador na hora de mediar os conflitos.

Por exemplo, se alguém está te incomodando, não se encha de raiva e tire conclusões precipitadas. Em vez disso, permita-se olhar a situação por outro lado. Pense no que está levando a pessoa a se posicionar dessa forma e porque isso te irrita tanto.

Esteja atento ao seu vocabulário

Como você viu anteriormente, a comunicação é uma das habilidades de um bom líder. Líderes emocionalmente inteligentes usam palavras e expressões específicas para comunicar deficiências, motivando o colaborador a trabalhar rapidamente para solucionar esses problemas, tomando cuidado para não colocar a pessoa pra baixo por meio de suas palavras.

Fique de olho nas palavras que você usa no seu cotidiano. Fazer uma crítica não precisa ter um tom de ordem, assim como é possível negar um pedido sem usar a palavra não. Busque esse conhecimento por meio da leitura, filmes, cursos, treinamentos e palestras.

 Peça a opinião das pessoas

Pergunte aos seus colegas de trabalho, amigos ou familiares como eles classificariam sua inteligência emocional. Mas faça os questionamentos de maneira adequada, por exemplo:

  • como eu reajo a situações difíceis?
  • como eu reajo diante do problema dos outros?
  • o meu comportamento é influenciado pelo meu estado de espírito?

Saber essas respostas não é importante para que você se justifique, mas que trabalhe seus pontos fortes e fracos quando o assunto é o relacionamento com o próximo. Ao entender como suas ações e emoções fluem a partir de uma situação estressante, é possível refletir sobe o posicionamento ideal de um líder e ir em busca dessa postura.

O líder que garante a sintonia entre os membros da equipe também está trabalhando em prol da produtividade, do engajamento e da motivação. Por isso, entender a relação entre inteligência emocional e liderança é o pontapé inicial para desenvolver as habilidades necessárias, resolvendo conflitos e aprimorando a comunicação.

Gostou deste material? Assine nossa newsletter e continue acessando conteúdos como este.

Previous Post
Next Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *