O modelo de gestão que a empresa adota exerce muita influência não só nos resultados do negócio, como também na satisfação dos colaboradores. Empresas como a Google e a Netflix são exemplos de grandes corporações que adotam a gestão horizontal como metodologia de administração.

Esse modelo abre mão da estrutura hierarquizada que conhecemos hoje. No lugar de tornar chefes e gestores as únicas pessoas responsáveis por tomar decisões, delegar funções e outras atividades pertinentes ao cargo, essa nova relação de trabalho responsabiliza todos os colaboradores pelos resultados da organização.

Quer saber com mais detalhes do que trata o sistema, suas características e vantagens? Continue a leitura!

Do que trata a gestão horizontal?

A gestão horizontal é um modelo de administração de empresas que tem como princípio a ausência de uma relação de poder. No lugar de valorizar essa centralização, ela propõe um conceito participativo, em que os processos de tomada de decisão acontecem de maneira coletiva e a responsabilidade é dividida por todos.

Ao adotar esse sistema, a empresa incentiva os profissionais a se posicionarem e expressarem sua opinião. Paralelamente a isso, eles ganham mais autonomia para desempenhar o seu trabalho.

O caso da Netflix

A Netflix é um destaque quando o assunto é a gestão horizontal. A empresa procura valorizar a comunicação, a curiosidade, a coragem, a inovação e a honestidade de seus colaboradores. No que diz respeito à organização em si, ela procura valorizar os resultados que cada pessoa apresenta.

Nela, os líderes de equipe servem para criar um contexto que envolve metas, delegação de tarefas e transparência, passando longe de uma postura que controle os colaboradores.

Para retê-los e fazer com que se sintam motivados e disciplinados a trabalhar em uma gestão mais flexível, ela oferece benefícios bastante interessantes, como: o profissional decide quando vai tirar férias e por quanto tempo. Inovador, não é mesmo? Por isso, a meta de muitos profissionais altamente qualificados é fazer parte desse time.

Quais suas principais características?

Esse método organizacional defende a ideia de que a produtividade dos colaboradores se relaciona com os processos de tomada de decisão. Quando são incentivados a agir de maneira mais autônoma e com responsabilidade, a tendência é que apresentem melhores resultados.

Uma das características diz respeito à implementação dessa cultura, pois não há uma estrutura ou um passo a passo definidos. Cada empresa trabalha com um nível de horizontalidade, de acordo com o quanto foi eliminado da sua hierarquia.

Sendo assim, a adoção desse modelo varia entre cargos bem definidos sem uma chefia até a ausência de cargos propriamente ditos. Aqui, as funções são substituídas por grupos de trabalho. Seja qual for a nova metodologia administrativa escolhida, o ambiente evidencia o potencial individual dos profissionais.

Além disso, na gestão horizontal, os colaboradores têm mais liberdade para desenvolver suas aptidões e gerenciam melhor o seu tempo e as demandas de trabalho. Para um melhor entendimento sobre o tema, vamos listar algumas características dessa metodologia:

  • liderança flexível;
  • clima de liberdade;
  • promoção da criatividade;
  • soluções mais inovadoras;
  • equipes multifuncionais;
  • otimização do tempo e da força de trabalho;
  • ambiente de trabalho descontraído;

Quais as vantagens desse modelo para o negócio?

Cargos não definidos, ausência de gestores e extinção de uma hierarquia rígida são elementos que podem remeter a uma empresa desorganizada e que apresenta resultados abaixo do esperado.

No entanto, em uma proposta mais colaborativa, participativa e autônoma, os profissionais têm liberdade para criar e inovar e são estimulados a fazê-lo pelo próprio ambiente de trabalho, o que traz vários benefícios para a organização. Que tal conferir alguns?

Produtividade e retenção de talentos

Um ambiente de trabalho que abre as portas para que os colaboradores expressem suas opiniões e ideias, participando ativamente de cada projeto em planejamento ou execução, se torna cada vez mais inspirador para os profissionais.

O estímulo à inovação e ao desenvolvimento individual e coletivo vai além da satisfação profissional, irradiando para o bem-estar pessoal. Colaboradores satisfeitos e inspirados são a base para a retenção de talentos, a formação de equipe de alto desempenho e o aumento da produtividade.

Diálogo e bom relacionamento interpessoal

Não é possível implementar a gestão horizontal sem que haja uma cultura que incentive a comunicação interna transparente, o diálogo entre equipes e os debates rotineiros. Afinal, se todos são responsáveis pelas decisões, é preciso que haja conversa e consentimento para que esse método administrativo funcione.

O reflexo se dá no relacionamento interpessoal e na resolução de conflitos. Colaboradores que sabem dialogar e respeitar a opinião do próximo dificilmente vão entrar em atrito. Saber ouvir e se expressar é princípio básico da gestão horizontal, e, quando a empresa consegue alcançar esse objetivo junto aos profissionais, cria um ambiente de trabalho agradável.

Maturidade e organização

A gestão horizontal é flexível. Colaboradores que atuam em uma empresa que adota essa metodologia são incentivados a administrar o seu próprio tempo atendendo às demandas de trabalho no prazo adequado, mas sem precisar de uma chefia para cobrar as datas.

Quando estimulados e treinados para isso, o resultado é alcançar a maturidade profissional e entender que, sem organização, não há meios para realizar tarefas com sucesso. Como, tecnicamente, não há pressão relacionada a uma agenda rígida, estão livres para criar, inovar, discutir e produzir. Assim, os processos se concluem com mais criatividade e agilidade.

Dedicação e engajamento

Quando estamos satisfeitos com o nosso trabalho, não precisamos de um chefe que nos acompanhe o tempo todo falando o que deve ser feito. O prazer em trabalhar em determinada empresa e desempenhar as atividades que nos competem é o combustível para que o trabalho seja realizado com excelência.

A gestão horizontal estimula naturalmente uma postura de chefia e altos níveis de engajamento. Aliada a outras políticas, como um programa de benefícios consistente, leva a organização a um patamar bastante acima do esperado.

Todo modelo de gestão tem seus prós e contras. Cabe aos gestores e empreendedores definir o mais adequado para a sua empresa. No entanto, é preciso considerar que a liberdade da gestão horizontal pode transformar a empresa, pela autonomia, em um ambiente saudável, estimulante e produtivo.

Quer saber como formar uma equipe altamente qualificada? Aproveite para conferir como fazer um recrutamento inteligente e obter os melhores resultados!

Escreva um comentário