A atração e a seleção de talentos vêm ganhando novos ares no mundo corporativo. Cada vez mais convencidas da importância do capital humano para o negócio, as empresas têm investido em maneiras criativas para chamar a atenção dos candidatos. Nesse contexto, a gamificação em processos de recrutamento é uma prática cada vez mais popular.

Buscando contratações eficazes e cada vez mais precisas, a dinâmica dos jogos pode ser inserida de maneira estratégica na hora de escolher como preencher o quadro de colaboradores.

Este material busca revelar o que é a gamificação, seus benefícios, e traz algumas dicas de aplicação. Acompanhe a saiba mais!

O que é a gamificação

Em síntese, a gamificação é uma técnica que utiliza regras e estrutura de jogos variados no cotidiano corporativo. O principal objetivo é deixar os procedimentos — como treinamentos, recrutamentos e seleções internas — mais divertidos e prazerosos, ao mesmo tempo em que traz eficiência para as atividades.

É justamente por possibilitar bons resultados que a gamificação em processos de recrutamento vem se tornando uma tendência no RH. A prática permite que a empresa conheça profundamente os candidatos e sua postura diante dos desafios do cargo pretendido.

Benefícios dessa tendência para a seleção de novos talentos

Um processo de recrutamento e seleção bem feito traz vários benefícios para uma empresa. Os acertos na contratação aumentam o desempenho das equipes, contribuem com o employer branding, diminuem a rotatividade e, consequentemente, os custos relacionados ao departamento pessoal.

Utilizar a gamificação para alcançar esses resultados traz algumas vantagens extras. Conheça algumas delas.

Dinamismo

Algumas atividades desempenhadas durante um processo de recrutamento e seleção já são tão manjadas pelos candidatos, que eles já sabem exatamente o que responder ou como se comportar. Isso acaba engessando o processo e ocultando traços reais da sua personalidade.

A gamificação traz dinamismo a essas situações. Um exemplo disso está relacionado à apresentação de cada profissional. Na hora de falar sobre qualidades e defeitos, adotar um processo tradicional pode gerar respostas óbvias, que não acrescentam muita coisa.

No entanto, alternativas divertidas e inusitadas podem revelar traços verdadeiros, quebrando o gelo e deixando o indivíduo mais à vontade para expor suas reais habilidades e dificuldades.

Engajamento

Verdade seja dita: um recrutamento tradicional pode fazer com que os candidatos percam o interesse pela vaga no meio do processo seletivo. Isso tem tudo a ver com as novas gerações que estão entrando no mercado de trabalho.

Cada vez mais qualificados e cientes do seu potencial, os profissionais procuram por uma empresa que os surpreenda, antes mesmo da contratação. Os games são capazes de trazer a movimentação necessária para aumentar o engajamento desse público, atraindo os maiores talentos do mercado.

Agilidade

Identificar habilidades e competências dos candidatos pode ser uma tarefa um tanto demorada. O tempo é valioso e processos arrastados acabam prejudicando o engajamento dos candidatos.

Uma das vantagens da gamificação — especialmente quando alinhada a ferramentas tecnológicas, como o People Analytics — é que a experiência permite verificar o perfil do profissional de forma ágil e espontânea.

Os jogos permitem que o recrutador faça uma avaliação instantânea dos resultados, fazendo com que o processo aconteça de forma mais rápida e menos onerosa.

Maneiras de utilizar a gamificação em processos de recrutamento

Até agora, você conheceu um pouco mais sobre o conceito da gamificação e os benefícios dessa prática na hora de captar novos talentos. Para que você não termine a leitura deste artigo com dúvidas sobre a sua aplicação, trouxemos exemplos que podem ser facilmente aplicados à rotina da sua empresa. Preparado? Vamos lá!

Estimulando a competição saudável

Em um processo de recrutamento e seleção, adotar competições sadias não significa que os vencedores de uma determinada dinâmica garantem a vaga como prêmio.

Na realidade, aplicar atividades competitivas — como um jogo de tabuleiro ou um quiz com perguntas e respostas — serve para expor as competências e habilidades dos candidatos, além de revelar quem tem perfil de liderança e está de acordo com o fit cultural da empresa.

Além disso, é uma forma de verificar, na prática, como o profissional trabalha em equipe. Independentemente do cargo a ser ocupado, cultivar um bom relacionamento interpessoal é requisito básico para garantir a harmonia de um grupo e um clima organizacional saudável.

Proporcionando uma experiência real

A gamificação permite submeter os candidatos a uma situação real para definir os perfis mais adequados a uma vaga. Isso significa que um produto, marca ou serviço da empresa pode ser desenvolvido ou utilizado para que um determinado objetivo seja atingido.

Por exemplo: vamos supor que o cargo em aberto seja o de designer gráfico. Os candidatos podem criar uma peça que vai servir como base para que a equipe de marketing possa trabalhar na divulgação de um novo produto.

Avaliar e selecionar os arquivos são formas de verificar a linha de trabalho do profissional, ao mesmo tempo em que contribui trazendo novas ideias para o departamento.

Buscando inspiração em grandes empresas

Embora seja uma tendência no recrutamento e seleção, grandes empresas já aplicam esse conceito no dia a dia e podem ser uma fonte de inspiração valiosa. Veja alguns exemplos:

  • Rede de hotéis Merriot: simula virtualmente as atividades de um gerente de hotel;
  • Shell: convida os candidatos a resolver um quebra-cabeças com o objetivo de captar energia;
  • Domino: propõe a criação de novos sabores de pizza;
  • L’Oréal: pede que os candidatos desenvolvam um novo produto para uma de suas marcas;
  • Radix Engenharia e Software: oferece um quiz para os candidatos a uma vaga de estágio testarem seus conhecimentos em sustentabilidade, energia renovável, meio ambiente, petróleo e gás. Batizado de Quix, já teve mais de 25 edições.

Percebeu a importância de utilizar a gamificação em processos de recrutamento, assim como outras ferramentas e tecnologias para trazer mais eficiência a essas atividades? Quanto mais a empresa investe em meios para aprimorar a seleção de candidatos, maior será a chance de acertar nas contratações!

Quer saber como? Leia nosso artigo sobre Big Data e People Analytics no recrutamento e seleção. Inove seu recrutamento e seleção com a Connekt!

Escreva um comentário