A contratação de talentos é composta por várias etapas. Em cada uma delas, certos candidatos são eliminados e precisam ser comunicados. Por causa disso, é preciso que haja um feedback no processo seletivo.

O feedback representa um retorno de informação, é como dizer ao candidato se ele passou ou não para a próxima etapa e o porquê. Ele pode ser profundo ou raso, segundo a política de gestão de pessoas da empresa.

Entenda mais sobre o assunto nos próximos tópicos!

Qual é a importância do feedback no processo seletivo?

A criação de uma sólida marca empregadora não é um luxo, é uma necessidade. Ao arquitetar uma imagem atraente aos profissionais talentosos, a empresa poderá ter mais sucesso nos próximos recrutamentos.

No entanto, a marca empregadora é construída em cada ponto de contato com os profissionais, como quando eles são aprovados ou reprovados em uma etapa da seleção. Por esse motivo, o feedback pode ajudar muito.

Ao iniciar uma comunicação clara com o candidato, independentemente do conteúdo, a empresa mostra que se importa com ele. Além disso, pratica uma gestão de pessoas mais humana e empática.

Quando a marca oferece retornos adequados e recorrentes, é provável que crie uma imagem positiva. Os próprios candidatos vão atuar como promotores dessa marca, falando bem da seleção para seus amigos e familiares.

Estabelece um relacionamento com os talentos

Se a empresa não oferece uma boa jornada de contratação aos candidatos e os deixa de lado, é provável que eles não tenham interesse em participar de novos processos seletivos.

Por outro lado, quando os candidatos se sentem importantes para a empresa, mesmo que não sejam selecionados, podem reconhecer a qualidade do recrutamento e da seleção, bem como se inscrever em processos futuros.

Isso é muito importante. Há muitos candidatos que são realmente talentosos, que não são contratados em uma primeira seleção mas têm potencial para fazer parte da empresa e ocupar outros cargos.

Nesse sentido, o feedback também pode ser visto como um meio de conexão. Ele garante que os talentos continuem interessados em fazer parte da equipe e estabelece um relacionamento mais duradouro.

Contribui para o crescimento do candidato

O feedback também é importante para o próprio candidato. Ele pode aprender mais sobre si próprio e identificar pontos “cegos”, que podem ser neutralizados ou eliminados adiante.

No entanto, o interessante é um retorno personalizado e profundo, nada muito padrão. Quando se gera um feedback especificamente para o candidato, é possível ajudá-lo a se aprimorar e crescer enquanto profissional.

Vários gestores têm medo de dar um feedback claro, pois o retorno pode ser interpretado de uma forma negativa e resultar em problemas judiciais para a empresa. Todavia, se benfeito, é muito provável que isso nunca aconteça.

O ideal é oferecer um feedback mais técnico, sem qualquer intenção de ofender ou menosprezar o candidato. Mostre os pontos que podem ser aperfeiçoados e como isso pode ser feito, depois convide-o para seleções futuras.

Deixa o processo seletivo mais acertado

Como dito, o processo de recrutamento e seleção é composto por várias etapas. É preciso ter cuidado para que ele não fique confuso e pouco eficiente, que é o que acontece quando falta diálogo com os candidatos.

Se não há feedback, é muito provável que haja desencontros ao longo do processo. Profissionais selecionados deixam de comparecer às próximas etapas, e os que não foram aprovados comparecem.

Esses pequenos erros podem dar um grande trabalho. O gestor de RH precisará explicar o ocorrido, remarcar as atividades de seleção e poderá perder alguns dos maiores talentos — tudo por falta de comunicação.

Por outro lado, ao gerar bons retornos, é provável que todos os aprovados compareçam no local e no horário marcado, sem imprevistos que compliquem a seleção. Assim, todo o setor de recursos humanos é beneficiado.

Como organizar o fluxo de feedback na contratação?

Entendida a relevância do assunto, também é preciso compreender seu funcionamento. De ponta a ponta, o feedback deve ser planejado e executado com atenção, com a ajuda de softwares de qualidade.

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que quando há uma nova triagem, é necessário que haja um feedback. Após a entrevista, o teste de conhecimento específico ou a dinâmica em grupo — sempre que certos candidatos forem eliminados —, é importante gerar um retorno de informação.

O interessante é ter uma estrutura prévia do feedback, parabenizando ou estimulando o candidato a tentar em outra oportunidade. Nessa estrutura, vale a pena incluir uma mensagem específica e personalizada para o candidato.

Em algumas situações são muitos os feedbacks, e fazer isso de maneira manual é realmente inadequado. O gestor pode perder muito tempo e energia, deixando de focar no processo seletivo. Por esse motivo, também é necessário contar com um software de recrutamento e seleção que simplifique a comunicação.

De igual modo, pense no feedback aos profissionais aprovados. Como você pode tornar esse momento mais encantador? Lembre-se que esse é um dos primeiros momentos com o candidato, então torne-o único.

Qual é o papel da tecnologia ao longo do feedback?

Imagine um processo seletivo com centenas de candidatos, mas que você precise selecionar apenas um. Gerar todos esses feedbacks de maneira individual é um processo complexo e pode custar mais tempo do que o disponível.

Ainda há outro problema: a falta de padronização. É preciso que os candidatos recebam igual atenção, afinal, ninguém é melhor ou pior. No entanto, sem a ajuda de boas tecnologias é difícil que isso aconteça.

Os modernos softwares de recrutamento e seleção podem mudar esse cenário. Eles funcionam como centros de comando do processo seletivo e podem automatizar a geração do feedback. Isso significa que próprio software envia mensagens de aprovação ou eliminação, segundo o interesse do selecionador.

Além de melhorar o feedback, o software torna o processo seletivo mais inteligente. Ele analisa uma enorme diversidade de dados para indicar os candidatos mais talentosos para a empresa, otimizando a triagem inicial.

Há muitos benefícios no feedback no processo seletivo — ajuda a melhorar a imagem da empresa, promove o crescimento do candidato e do próprio setor de RH. No entanto, é preciso ter cuidado e apostar nas boas práticas. O uso de sistemas de ponta pode ser a melhor solução, pois gera agilidade e acerto no feedback.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para entrar em contato conosco e descobrir como podemos ajudar a sua empresa!

Escreva um comentário