Ao entrar em um espaço onde se concentram profissionais da tecnologia, não é incomum se deparar com vários indivíduos imersos em seu próprio mundo, munidos de um fone de ouvido e concentrados em seu trabalho. Um bom programador realmente necessita dessa concentração, mas o mundo corporativo costuma exigir um bom relacionamento interpessoal. É aí que entram os hackathons.

Competências técnicas, capacidade de trabalhar em equipe e espírito inovador podem ser considerados o “top 3” das habilidades desejáveis para os profissionais de tecnologia. Nesse sentido, recrutá-los pode ser desafiador.

Então, siga a leitura e descubra nos próximos tópicos como o hackathon contribui para que as empresas acertem nas contratações do setor!

O que são os hackathons?

Os hackathons são maratonas de programação. O termo, de origem inglesa, contempla as palavras hack (acesso a dados) e marathon (maratona). Eles costumam ocorrer no formato de um grande evento.

Funciona da seguinte forma: durante um ou dois dias — há casos em que as maratonas duram até uma semana —, os profissionais se reúnem para trabalhar com design e programação, criando softwares ou propondo soluções em conjunto. Tudo em um formato bastante intenso, vivendo uma verdadeira imersão.

Como eles são utilizados pelas empresas?

No contexto empresarial, essas maratonas podem ser utilizadas de diversas formas, como em programas de treinamento e desenvolvimento, ou em processos de recrutamento e seleção. Durante a maratona, são diversos aspectos que podem ser observados:

  • a forma de os candidatos trabalharem em equipe;
  • os níveis de proatividade;
  • a capacidade de propor soluções;
  • o posicionamento diante de situações em que os profissionais possam se sentir pressionados;
  • se o indivíduo é organizado e mantém o foco nas atividades;
  • como utiliza a lógica na programação;
  • a capacidade de gerir conflitos;
  • a habilidade em comunicação e persuasão;
  • o perfil de liderança;
  • a qualidade do trabalho;
  • a contribuição individual no resultado final.

Todas essas questões são de extrema relevância para uma contratação ou na promoção de um colaborador, e levam a um só fim: permitem que os gestores acertem no candidato destinado a ocupar uma determinada vaga.

Por que vale a pena investir neles?

Não há dúvidas de que os hackathons são sinônimos de inovação. Inclusive, a empresa pode ganhar mais do que uma contratação acertada ao adotar esse evento como processo seletivo, utilizando uma situação real a ser resolvida. Além de ter uma resposta para o problema, a organização consegue verificar como o profissional atua na prática.

Isso porque o colaborador começa a sua jornada na empresa experimentando um ambiente alegre e totalmente colaborativo. Por isso, é importante que a cultura organizacional da empresa valorize o trabalho em equipe, dando continuidade ao trabalho realizado no recrutamento.

Dessa forma, os profissionais podem se identificar com a empresa logo de cara e aqueles que não se enquadram nessa forma de trabalho ficam à vontade para procurar um local mais adequado à sua forma de trabalho.

Isso facilita a retenção de talentos e, de quebra, garante um aumento na produtividade, já que a equipe é composta por indivíduos realmente alinhados ao perfil do negócio.

Ao final do processo, mesmo aqueles que não foram contratados ou promovidos terminam a maratona com uma boa experiência para contar. Mais um benefício dos hackathons: fazem com que a empresa melhore o seu employer branding.

Como organizar um hackathon eficiente?

Uma maratona com o objetivo de contratar profissionais da tecnologia deve considerar 4 aspectos fundamentais. Veja a seguir quais são eles!

1. As necessidades da empresa

Todo hackathon deve ter seu próprio regimento, de acordo com as vagas que estão sendo disputadas, o segmento de atuação e as necessidades da empresa. Ou seja, cada evento é único e se modifica estrategicamente, de seleção para seleção.

Como o principal objetivo é propor uma nova ideia ou solucionar um problema, as questões devem ser diferentes de uma maratona para outra. Do contrário, os gestores devem procurar qual erro está levando à repetição dos processos.

2. Os aspectos inovadores

Durante este post, mencionamos a inovação como característica dos hackathons. Ou seja, na hora de organizar o evento, ele deve obedecer a essa característica.

Então, nada de investir em atividades óbvias de gamificação. Não tenha medo ou vergonha de pedir que os participantes resolvam um problema: certifique-se de que o regulamento deixou isso nítido. Se os profissionais sabem o que vai acontecer e aceitaram participar da maratona, seja criativo! 

3. Não esqueça que o hackathon é uma ferramenta para o conhecimento

Em um primeiro momento, os hackathons podem passar a impressão de ser uma grande brincadeira. Não é bem assim que funciona. A maratona testa o conhecimento das profissões.

Suas habilidades técnicas devem ser muito bem expostas e aproveitadas. Sendo assim, certifique-se de organizar um evento que, acima de tudo, é profissional. Embora ele deva ser leve como uma confraternização, também deve ter a exigência de um processo seletivo de alto nível. Com isso em mente, preze pelo equilíbrio. 

4. Certifique-se de distribuir funções importantes para todos os participantes

Se os hackathons servem para demonstrar a capacidade dos candidatos em trabalhar em equipe, logo, o desafio deve ser colaborativo. A competição não inclui a mesma atividade para todos: é necessário que cada profissional seja responsável por uma etapa e que todas elas contemplem o mesmo nível de complexidade.

Se a maratona inclui um número maior de participantes que o projeto tem de etapas, o mais prudente é separar o desafio por equipes. Assim, a empresa não perde a capacidade de avaliar o desempenho individual enquanto pode medir os diferentes resultados.

Nesse sentido, podemos concluir que, quanto mais participantes tiver o hackathon, melhor para a empresa. Só não se esqueça de que todos devem estar cientes dos objetivos do desafio!

Quando se trata do recrutamento de profissionais de tecnologia, a adoção de hackathons é uma necessidade. Além da parte técnica, avaliar a atuação desses indivíduos em equipe é tão ou mais importante que a etapa da entrevista. Focar as habilidades de relacionamento garante uma contratação mais eficaz.

Nosso artigo foi útil para você? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de conteúdos interessantes como este. Até breve!

Escreva um comentário