Em nível mundial, 38% dos empregadores admitem ter dificuldades em preencher vagas de trabalho — e o número pode ser pior no Brasil. Isso é um reflexo da escassez de mão de obra qualificada e da falta de bons processos de recrutamento e seleção. Então, o que é e como fazer um recrutamento inteligente?

O recrutamento inteligente é capaz de identificar e contornar “gargalos” do mercado de trabalho ou da empresa, com estratégias funcionais e tecnologia de ponta. Pode-se, por exemplo, contar com um software para a triagem automática dos talentos ou com táticas de marketing para formular uma marca empregadora.

Neste artigo, reunimos informações importantes sobre esse assunto e dicas para fazer um processo de recrutamento inteligente dentro da sua organização. Leia com atenção os próximos tópicos!

Arquitete uma forte marca empregadora

Até hoje, as empresas investem na construção de marcas com o objetivo de atrair clientes finais e engajar decisões de compras. Isso é tão natural que boa parte das pessoas nem percebe que, dia após dia, depara-se com milhares de anúncios nas ruas. Então, por que não fazer marketing com foco nos talentos do mercado?

Sob o nome de marca empregadora (employer branding, do inglês), a estratégia tem por objetivo tornar a firma um grande ímã de talentos, atraindo os melhores candidatos para o processo de recrutamento e seleção.

Para criar uma forte marca empregadora, o recomendado é contar com uma página de carreiras. É um espaço web destinado aos talentos do mercado, no qual é possível compartilhar a história da empresa, dos funcionários, fotos e vídeos do ambiente de trabalho, bem como anunciar vagas abertas. Assim, os candidatos terão maior envolvimento.

Selecione com base no fit cultural

Todo profissional conta com dois principais blocos de competência: técnica e comportamental.

A inteligência técnica representa os conhecimentos e habilidades adquiridas com o tempo, ligados ao operacional. Não da para contratar um motorista que não conheça bem o carro ou um vendedor que não tenha a habilidade de negociação. Em geral, o processo de recrutamento se preocupa com a parte técnica.

Todavia, é preciso ir além e considerar as competências comportamentais. O profissional tem um conjunto de valores, hábitos e prioridades que se encaixa na cultura da empresa? Isso é chamado de fit cultural.

O recrutamento inteligente busca um profissional tecnicamente hábil, mas não só isso. Também busca alguém com alinhamento à cultura e ao time de trabalho, pois assim terá maior aderência e poderá ficar por longos anos na empresa. Para tanto, é comum usar técnicas de análise de perfil comportamental.

Aplique testes de perfil comportamental

Imagine um profissional metódico em uma equipe de trabalho inovadora (ou vice-versa). É provável que a soma não dê certo. Por isso, é importante analisar o perfil comportamental dos candidatos às vagas.

Cada profissional tem um perfil distinto. Um pode ser mais influenciador, com eloquência para conversar e direcionar seus colegas de trabalho, enquanto outro pode ser mais analista, capaz de considerar dados e informações para criar uma estratégia disruptiva. Ao conhecer o perfil dos candidatos, saberá qual o melhor para a vaga.

Existem muitos testes de perfil comportamental, um dos principais é conhecido como método DISC. Na verdade, é um acrônimo de quatro palavras do inglês — Dominância, Influência, Estabilidade e Cautela.

Além de compor um processo de recrutamento inteligente, a análise de perfil contribui para determinar quais candidatos têm chances de ocupar cargos de liderança ou especialista em determinada área no futuro. Logo, o gestor de pessoas tem maior eficiência na aquisição e, posteriormente, na gestão do recém-contratado.

Monitore os resultados alcançados

A eficiência operacional é uma obsessão nas empresas, incluindo a área de gestão de pessoas. É preciso ter a melhor performance possível, fazer o máximo com o mínimo de recursos — garantindo, assim, vantagens em todos os níveis e áreas do negócio.

Para tanto, o recrutador deve monitorar os resultados alcançados ao longo do processo de contratação. Ele deve estabelecer um conjunto de indicadores capazes de diagnosticar o que está sendo bem feito e o que deve ser ajustado. Entre os principais indicadores-chave de desempenho, é possível destacar:

  • percentual de vagas fechadas no prazo;
  • número de candidatos por vaga;
  • tempo médio para a contratação;
  • valor médio gasto por contratação;
  • investimento na criação da marca empregadora;
  • número de cliques nos anúncios da página de carreiras.

Com diversos indicadores, o gestor poderá ter uma visão sistêmica e criar processos de recrutamento acertados, focando no que realmente importa. Além disso, será possível determinar metas reais e desafiadoras para o futuro, motivando toda a equipe de RH no alcance de melhores resultados no recrutamento e seleção.

Conte com um bom software de recrutamento

Por fim, é preciso contar com o que há de melhor em tecnologia. Um software de recrutamento e seleção (R&S) pode ajudar em cada etapa, da requisição de pessoal até a triagem de currículos e seleção final. Na verdade, as plataformas mais modernas já contam com vantagens como inteligência artificial e automação de tarefas.

Isso quer dizer que processos tradicionais podem ser totalmente automatizados, tornando o recrutamento realmente inteligente. A análise e triagem de currículos, por exemplo, podem ser feitas pelo software com base em filtros predefinidos — assim, o gestor tem acesso aos candidatos com as habilidades certas para o cargo.

Existem muitas outras vantagens, como entrevistas 100% digitais, a integração com as principais redes sociais, o envio de feedback e documentos importantes de um único lugar: do software de R&S.

Mas é preciso ter atenção na hora de escolher o software. Dê preferência a tecnologias em nuvem, que podem ser acessadas diretamente da internet pelo computador ou smartphone. Analise, de igual modo, se os atuis usuários estão satisfeitos e como o sistema usa a Inteligência Artificial para otimizar os resultados.

Como é possível observar, o recrutamento inteligente oferece vantagens à empresa e aos profissionais, tornando o processo mais agradável, ágil e assertivo. Ao aplicar nossas dicas, você conseguirá atrair mais talentos, reduzir o custo por contratação, melhorar a jornada do candidato e otimizar as chances de contratar alguém com competências técnicas e comportamentais alinhadas ao cargo em aberto.

Gostou do conteúdo? Aproveite para comentar as suas dúvidas, sugestões ou experiências sobre o tema.

Escreva um comentário