Há muitas maneiras de definir o que é cultura organizacional. Uma forma interessante é pensar nela como o DNA da empresa, o que a torna única no mercado e diferente dos seus demais competidores. Logo, é importantíssimo preservar e consolidar esse valor.

Para tal fim, é necessário saber transmitir a cultura aos recém-contratados, o que começa ainda no processo de recrutamento e seleção (R&S). Isso gera múltiplos benefícios, tanto à empresa quanto aos profissionais. A questão é: como fazer isso de maneira bem-sucedida?

Nos tópicos seguintes, explicamos detalhadamente qual é a importância de disseminar a cultura da empresa e como isso pode ser feito com êxito. Então, continue sua leitura!

Afinal, por que transmitir a cultura no R&S?

Quando se trata de gestão empresarial, a cultura é um dos elementos mais enigmáticos, profundos e importantes. Uma cultura adequada pode determinar o sucesso da empresa e até garantir uma vantagem competitiva sustentável sobre suas concorrentes.

Esse é o primeiro motivo para transmitir a cultura, mas existem outros, por exemplo:

  • esclarece qual é a missão, visão e valores do empreendimento;
  • determina o que é — e o que não é — prioridade no expediente;
  • mostra qual o perfil ideal de profissional para a companhia;
  • revela o atual perfil dos líderes e equipes;
  • aumenta as chances de contratar alguém com aderência ao trabalho.

Além disso, ao transmitir a cultura, você estará explicando exatamente onde o candidato está errando. Isso é importante porque, só após a contratação, alguns candidatos sentem que estão no lugar errado, o que gera rotatividade e custos demissionais.

Ou seja: o candidato ganha ao saber mais sobre o negócio e colegas de trabalho (incluindo líderes). Já a empresa, ao otimizar a contratação de talentos com alinhamento à cultura.

Como transmitir a cultura organizacional com acerto?

Imagine a cultura organizacional como um iceberg — uma pequena parte está acima do nível do mar, então é fácil enxergar. Mas sua grande massa está sob as águas, o que dificulta a visão.

Em outras palavras, é difícil conhecer os elementos mais profundos da cultura, até mesmo aos empregados antigos. Porém, é possível mostrar algo na seleção. Veja como!

Faça um job description detalhado

O primeiro contato que o profissional vai ter com a empresa — e a vaga aberta — é por meio do job description. É uma espécie de sumário, que explica qual é a vaga e quais são as competências (técnicas e comportamentais) necessárias ao seu futuro ocupante.

Para criar um job description capaz de transmitir a cultura da empresa, acrescente dois campos. O primeiro é o de competências comportamentais, em que vai explicar o perfil comportamental necessário ao candidato — por exemplo, ânimo e curiosidade. O segundo, sobre a empresa, em que vai falar mais do ambiente de trabalho e as características que arquitetam a sua cultura.

Infelizmente, muitas descrições de cargos são superficiais e tediosas, falam só o essencial e quase nunca tocam na temática cultura. Isso aumenta o erro de triagem e faz com que mais profissionais não alinhados se inscrevam no processo de recrutamento e seleção.

Construa uma página de carreiras

A página de carreiras é um espaço web dedicado aos profissionais que ainda não fazem parte da empresa, mas que desejam um dia fazer. Nessa página, é comum publicar coisas sobre o ambiente de trabalho, como fotos, textos e vídeos, além de vagas abertas.

Uma das grandes vantagens da página de carreiras é que ela gera proximidade com os candidatos e facilita a comunicação da cultura organizacional. Ao veicular um vídeo sobre a história da empresa ou fotos do último happy hour, por exemplo, fica mais fácil chamar a atenção de profissionais aderentes à cultura e que realmente desejam fazer parte do time.

Existem muitas formas, inclusive gratuitas, de criar uma página de carreiras. Algumas redes sociais com foco profissional ou softwares de R&S permitem que a organização crie uma página para se comunicar com os candidatos e mostrar a cultura do local de trabalho.

Envolva o líder imediato nas primeiras reuniões

Muitos recrutadores deixam o contato com o líder imediato para as últimas etapas da seleção — nesse caso, um erro. Ao apresentar o líder nas primeiras etapas, fica mais fácil transmitir a cultura da empresa e explicar o perfil de profissionais que são bem-vindos.

Portanto, convide o líder imediato para dar algumas palavras ainda nas primeiras etapas da seleção. Ele pode, por exemplo, falar da sua equipe de trabalho, dos desafios diários e como eles são enfrentados.

Também é interessante envolver o líder nas etapas de entrevista e dinâmica em grupo, promovendo um maior entrosamento entre ele e os candidatos. Assim, fica muito mais fácil comunicar a cultura e garantir que os talentos saibam onde estão entrando.

Fale mais sobre a empresa e o cargo

Todo processo de recrutamento e seleção deveria começar com uma boa explicação acerca da empresa e do cargo que está aberto. Por exemplo, quais são as competências técnicas e comportamentais necessárias e por qual motivo. Infelizmente, isso nem sempre acontece.

Muitos gestores deixam para falar da empresa e do cargo nas últimas etapas, algumas vezes só quando o profissional está sendo efetivado. Isso gera uma assimetria de informação, ou melhor, faz com que o profissional desconheça a empresa, a cultura e até mesmo o cargo.

Felizmente, isso é algo fácil de tratar. Inclua como ponto obrigatório do processo de seleção, nas primeiras etapas, uma “parada obrigatória” para falar da empresa e tirar dúvidas dos profissionais. Explique a cultura que está sendo construída e por que é preciso preservá-la.

Qual a papel da tecnologia nesse processo?

A tecnologia está presente em todo o processo de contratação, do recrutamento até a efetivação dos profissionais. Portanto, é necessário pensar sobre como elas podem ajudar a transmitir a cultura da empresa e viabilizar a seleção de candidatos aderentes ao cargo.

Cuide para que, em cada anúncio de vaga, o feedback enviado aos profissionais ou avisos periódicos, a tecnologia comunique com maestria a cultura da empresa. Adote imagens, cores e uma linguagem que mostre o DNA da empresa, pois assim fica tudo mais fácil.

Agora, você está por dentro do assunto. Veja que há uma série de vantagens de transmitir a cultura organizacional no processo de recrutamento e seleção, resultando no acerto da contratação e no aumento do desempenho. Para aproveitar esses benefícios, é preciso envolver a liderança imediata, melhorar os processos e adotar boas tecnologias.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para aprender mais e saiba como promover um ótimo recrutamento digital e melhorar os resultados do RH.

Escreva um comentário