Você já parou para pensar que muitas vezes o setor de RH precisa recrutar para novas vagas, que nem mesmo foram criadas? Isso é bastante comum, por conta da agilidade com que a tecnologia se desenvolve, criando novas funções nas empresas.

Se tomarmos como exemplo a área da comunicação, vemos que jornalistas, publicitários e profissionais de relações públicas, até alguns anos atrás, precisavam conhecer tudo sobre produção de conteúdo e públicos de mídias tradicionais. Hoje, com o avanço da comunicação digital, é necessário que esses profissionais tenham até mesmo conhecimentos intermediários em linguagens de programação, captação de dados em meios digitais etc.

O mesmo vale para diversas outras áreas, que modificaram a sua forma de atuação e continuam se modificando cotidianamente. Pensando nisso, como os profissionais de RH devem se adaptar e recrutar para novas vagas? Temos algumas dicas. Confira!

Contrate colaboradores com perfil multifuncional

Os colaboradores contemporâneos precisam ter perfil multifuncional, ou seja, saber atuar sobre diversas frentes. Vamos voltar ao exemplo dos profissionais da comunicação, anteriormente citados.

Até pouco tempo atrás, era comum que eles se especializassem em televisão, em rádio ou em mídia escrita, por exemplo. Hoje em dia, o conhecimento em todas essas áreas é indispensável, uma vez que um portal de notícias ou blog empresarial produz conteúdos nos mais diversos formatos.

O mesmo vale para um profissional de TI, que não pode se limitar a conhecer apenas um tipo de linguagem de programação, uma vez que ela pode se tornar obsoleta em pouco tempo.

Por conta disso, os recrutadores devem desenvolver ações para contratar pessoas com um perfil multifuncional e que possam redirecionar as atividades para outras vertentes, caso seja necessário.

Conheça as competências necessárias para os profissionais do futuro

Além de contratar pessoas que tenham um perfil multifuncional, os recrutadores também precisam estar atentos para as competências que são necessárias para os profissionais do futuro. Veja alguns exemplos!

Cultura digital

Os candidatos precisam estar inseridos em uma cultura digital, em que ferramentas e softwares são utilizados para executar tarefas e se comunicar. Ficar inerte a isso pode ser um problema no futuro — e os gestores de RH devem evitar contratar pessoas que se negam a modificar os seus valores culturais e seguir executando as tarefas apenas de maneira offline.

Pensamento crítico

Ao recrutar para novas vagas, é preciso buscar por pessoas que tenham pensamento crítico e que saibam como direcionar a tecnologia para desenvolver as atividades da empresa de forma otimizada.

Até pouco tempo atrás, algumas pessoas diziam que os robôs e softwares substituiriam os seres humanos em diversas funções produtivas. De fato, isso aconteceu! O atendimento em centrais de relacionamento com o consumidor, por exemplo, em muitos casos, já é realizado por inteligência artificial.

Mas quem gerencia essa inteligência? Quem pode fazer com que ela seja utilizada de maneira mais certeira para atingir os objetivos do negócio? Com certeza é um profissional humano, com pensamento crítico bem desenvolvido. Ou seja, há a necessidade de pessoas com um perfil mais estratégico e menos operacional.

Inteligência emocional

A gestão das emoções, ou inteligência emocional, é algo complexo, mas que também precisa ser analisado ao recrutar para novas vagas. Popularizada pelo psicólogo americano Daniel Goleman, essa característica se divide em cinco pilares:

  • autoconsciência;
  • autorregulação;
  • automotivação;
  • empatia;
  • habilidades sociais.

A ideia é que as pessoas possam utilizar as emoções de forma estratégica, não só para benefício próprio, mas também para saber identificar as emoções dos outros e, assim, construir relações mais saudáveis.

Resiliência

Na física, o termo resiliência é utilizado para caracterizar a propriedade que determinados materiais têm de retornarem à sua forma original, mesmo depois de sofrerem um grande impacto. Trazendo essa realidade para o mercado de trabalho, o significado é praticamente o mesmo.

Todas as pessoas têm altos e baixos, bem como momentos de estagnação na carreira. É preciso saber lidar em cada uma dessas circunstâncias e saber se reinventar, para ocupar vagas do futuro. Logo, indivíduos resilientes devem ser valorizados nos processos de recrutamento e seleção.

Adaptabilidade proativa

Conforme já explicamos em tópicos anteriores, a tecnologia se desenvolve a cada instante. Isso faz com que os profissionais necessitem se adaptar para realizar novas tarefas e modificar a forma como realizam as suas atividades.

Essa adaptação precisa ser feita de forma proativa, com os próprios colaboradores identificando que precisam mudar e não necessitar que isso seja dito por alguém, por exemplo. Trata-se, portanto, de outra característica que precisa ser estudada.

Capacidade de tomar decisões

Também já mencionamos que os profissionais precisam ser mais estratégicos e menos operacionais. Por isso, é necessário que os candidatos tenham bem desenvolvida a capacidade de tomada de decisão.

Avalie os candidatos a vagas e verifique se eles têm uma boa capacidade para tomar as melhores decisões na empresa.

Flexibilidade cognitiva

A flexibilidade cognitiva nada mais é do que a capacidade de buscar alternativas rápidas para uma mesma situação, quando algo não funciona como o planejado. É preciso que isso seja verificado antes de contratar novos colaboradores, uma vez que “”pensar fora da caixinha” é uma característica importante para profissionais do futuro.

Desenvolva o recrutamento digital e aposte nos testes comportamentais

Estar inserido em uma cultura digital é uma das habilidades necessárias para os profissionais do futuro. Logo, desenvolver o recrutamento digital é uma boa alternativa para escolher colaboradores que já estejam inseridos nessa realidade, trazendo mais resultados positivos para a sua empresa.

Aposte também na realização dos testes comportamentais, que podem ser úteis para identificar questões como a inteligência emocional, a resiliência e a flexibilidade cognitiva. Eles são extremamente úteis para conhecer mais a fundo o perfil de cada candidato às vagas da companhia.

Tenha um RH bem preparado para recrutar para novas vagas

Por fim, é necessário investir em um RH adequado para contratar bons colaboradores para as empresas. As pessoas que fazem parte do time de recrutadores devem estar atentas para novas formas de divulgação das vagas e técnicas de seleção.

E então, tudo pronto no RH? Já pode recrutar para novas vagas? Coloque as nossas dicas em prática e garante que isso aconteça de forma prática e natural.

Gostou do nosso post? Então, assine a nossa newsletter e receba mais materiais relevantes pelo e-mail.

Escreva um comentário