Você, gestor, sabe o que é um banco de talentos inteligente? Além disso, sabe a importância de contar com essa ferramenta para otimizar os processos de recrutamento e seleção?

Se ainda tem dúvidas sobre o assunto, imagine que a sua empresa esteja precisando fazer admissões e que já conte com um perfil almejado, mas venha tendo grande dificuldade em encontrar os profissionais capacitados.

Com o banco de talentos, esse problema é reduzido, porque ele já mostra o perfil do candidato de acordo com as necessidades da vaga e da empresa, otimizando todo o processo.

Ficou curioso? Então, siga a leitura do post e confira!

O que é um banco de talentos?

Para otimizar os processos de recrutamento e seleção, é primordial que a empresa convide para concorrer à vaga os profissionais de perfil alinhado ao que a companhia busca.

No entanto, nem sempre é simples encontrar esses indivíduos no mercado, e, muitas vezes, a organização acaba perdendo a oportunidade de conquistar um grande talento por conta da pressa em admitir um colaborador.

Por isso, é importante ter um banco de talentos inteligente. O banco de talentos é uma das estratégias-chave do RH e tem como objetivo fornecer informações prévias sobre o candidato, como suas experiências e formação.

Ou seja, utilizando essa ferramenta, a corporação consegue localizar de forma mais fácil os profissionais que se encaixam em seu perfil, otimizando o recrutamento e seleção, bem como promovendo admissões mais precisas.

Qual a importância de ter um banco de talentos?

Existem inúmeros benefícios em se ter um banco de talentos. Podemos começar citando a diminuição de custos do RH e o ganho de tempo no processo seletivo. Afinal, com um banco de talentos, o setor não passa horas analisando perfis desalinhados ao da companhia e atrai candidatos mais adequados.

Além disso, os custos são reduzidos, pois as chances de se fazer uma contratação acertada são maiores, viabilizando o sucesso do profissional na organização e a retenção de talentos.

Com isso, a reputação da empresa também é melhorada. Afinal, ela vai promover uma experiência positiva aos candidatos e aos colaboradores que forem selecionados ao mostrar que se preocupa não só em admitir de forma correta, mas em não expor um profissional a um ambiente inapropriado às demandas dele, causando desconfortos e uma demissão precoce.

Como montar um banco de talentos inteligente?

A seguir, vamos ver algumas dicas para montar um banco de talentos inteligente. Confira!

1. Selecionar os melhores currículos de seleções anteriores

Com certeza, nas seleções anteriores, havia candidatos muito qualificados, porém que estavam concorrendo à vaga errada ou que não puderam ser selecionados no momento por falta de postos.

Guardar os dados desses profissionais é o primeiro passo para montar um banco de talentos inteligente. Afinal, a empresa já vai conhecer um pouco sobre o candidato e estará mais direcionada, caso surja a oportunidade de chamá-lo uma segunda vez.

Isso também é positivo pelo lado do candidato, que, por já ter conhecimento sobre a empresa, provavelmente irá para o processo mais tranquilo, podendo mostrar suas habilidades com maior clareza.

2. Categorizar os currículos

Categorizar os currículos também é uma excelente forma de otimizar o seu banco de dados. Você pode ordená-lo de acordo com a escolaridade, experiências e cargos.

Dessa forma, quando a companhia demandar um processo seletivo, fica mais fácil localizar os profissionais e suas especificidades.

Com isso, o tempo de busca pelos candidatos é otimizado, não havendo o risco de entrar em contato com indivíduos que não tenham as capacitações necessárias para a vaga.

3. Manter o banco sempre atualizado

Atualize sempre o seu banco de dados. Essa etapa é muito importante, porque profissionais de talento aparecem a todo momento, e é primordial estar atento e não perder a oportunidade de cadastrar um candidato em potencial no banco de dados.

Isso auxilia não só na localização de bons profissionais, mas na contratação estratégica. Ou seja, sua empresa estará sempre à frente no momento da admissão inteligente.

4. Aproveitar as redes sociais

As redes sociais são uma excelente ferramenta para a localização e captação de talentos. Por isso, é muito importante sempre divulgar as vagas nesses canais de comunicação, de modo a fazer com que os candidatos se cadastrem em seu banco de dados.

Dessa forma, a empresa conquista candidatos direcionados à vaga e que têm as especializações colocadas como pré-requisitos na descrição do cargo. Ou seja, nesse caso, o próprio candidato estará se apresentando à companhia, minimizando o tempo e o esforço do setor de RH em conseguir localizar esse profissional.

5. Utilizar um software que ofereça um marketing de atração direcionado

Existem ferramentas virtuais que são capazes de armazenar os currículos de modo muito ágil e eficiente. Esses softwares são capazes de categorizar as informações automaticamente, bem como fornecer dashboards e relatórios com uma visão sistêmica dos dados, promovendo facilidades.

Por isso, é muito relevante utilizar um software que ofereça um marketing de atração direcionado, fazendo com que o candidato se cadastre e conheça as vagas que mais tenham a ver com eles. Ou seja, os profissionais que têm o perfil desejado receberão antes o anúncio das vagas que combinam com eles.

Desse modo, é possível montar um banco de talentos inteligente e com perfis estratégicos, bem como otimizar os processos de RH com o uso da tecnologia. Afinal, nenhum processo será manual, e tudo estará ordenado estrategicamente no meio virtual, a fim de promover a melhor experiência do usuário e a admissão eficaz do colaborador.

Como vimos, a criação de um banco de talentos inteligente não é uma tarefa complexa, basta que a companhia seja organizada e se atualize constantemente. Vale ressaltar a importância do uso da tecnologia nesse processo e na otimização das atividades do RH como um todo. A companhia que investe na atração e retenção de talentos se torna cada vez mais competitiva no mercado.

Agora que você já sabe como criar um banco de talentos inteligente, o que acha de aprender sobre experiência digital no processo seletivo? Leia nosso artigo e confira!

Escreva um comentário