Afinal, como diminuir o turnover na empresa?

O turnover é um dos principais indicadores de desempenho na área de Recursos Humanos. Ele ajuda a entender a rotatividade de pessoal, bem como a qualidade do ambiente de trabalho e a força da marca empregadora. Logo, o administrador precisa saber como calcular.

No entanto, apenas calcular não é suficiente. É preciso integrar um conjunto de medidas com o intuito de reter os principais talentos e garantir que a evasão seja baixa. São muitos os benefícios das medidas destinadas a diminuir o turnover, como a redução de custos.

Adiante, explicaremos o que é turnover e como monitorá-lo. Também apresentaremos algumas dicas para sustentar um baixo percentual de rotatividade. Portanto, continue com a leitura!

O que é turnover e como monitorá-lo?

O turnover é um indicador-chave de desempenho. Ele mede o percentual de funcionários que deixam o quadro de trabalho ao longo de certo período — por exemplo, 12 meses. Além disso, contribui para gerar uma visão mais profunda e acertada do ambiente de trabalho.

Um dos principais benefícios desse indicador é sua facilidade de implementação. Para chegar até ele, basta relacionar dois dados: o número de empregados que deixaram a firma e o total de funcionários do mesmo período. O cálculo do turnover é o seguinte:

Turnover (em %) = funcionários que deixaram a empresa / total de funcionários do mesmo período x 100

Um pequeno percentual de turnover é comum e pode beneficiar a empresa. Significa que empregados menos competentes estão deixando o trabalho e abrindo espaço para outros talentos. Existem também situações inevitáveis, como uma aposentadoria ou morte.

O problema mesmo é quando o turnover é elevado, por exemplo, de 30% ou 40% ao ano. Nesse caso, boa parte dos profissionais — até os recém-contratados — ficam por pouco tempo e logo partem para a concorrência. Diante disso, é preciso adotar práticas para reduzir a evasão.

Afinal, como diminuir o turnover na empresa?

Há muitas práticas possíveis, como criar um plano de carreira que ofereça uma visão de longo prazo aos funcionários talentosos. No entanto, as práticas ideais variam de acordo com cada empresa. Para entender melhor, confira nossas próximas dicas.

Entenda a razão do turnover

Primeiro, é preciso entender o motivo da rotatividade. Pode ser porque a empresa paga pouco ou porque os empregados estão insatisfeitos com a liderança. Outra possibilidade é a falta de perspectivas de crescimento dentro da organização. A questão é: como saber o motivo?

Líderes mais experientes podem contar com seu know-how. É preciso ter tato para entender o que acontece no expediente. Todavia, uma boa dica é fazer entrevistas demissionais. Sim, entreviste os empregados que estão deixando o trabalho e descubra o motivo.

Compreenda o tipo de rotatividade

Outra premissa para tomar decisões acertadas é entender o tipo de turnover. Há, ao menos, dois principais tipos: o voluntário e involuntário. No primeiro caso, o funcionário se demite. Já no segundo, ele é desligado por seu superior imediato ou gestor de Recursos Humanos.

Se há predominância do primeiro caso, voluntário, significa que a empresa está deixando algo passar. Pode ser que o clima de trabalho seja péssimo, por exemplo. No caso do involuntário, é preciso investigar as motivações da demissão (por parte dos gestores) e enfrentar esse problema.

Crie um ambiente de bem-estar

A qualidade de vida no ambiente de trabalho pode determinar a quantidade de talentos que permanecem na empresa. Se o ambiente é desagradável, é provável que culmine em altos níveis de turnover. Por outro lado, se consegue gerar bem-estar, pode fidelizar os empregados.

Há muitas dicas úteis para criar um ótimo ambiente. Pensar na ergonomia dos móveis, oferecer benefícios complementares (como vale-cultura) e incentivar práticas de exercícios físicos (como ginástica laboral) é um ótimo começo. Então, invista no bem-estar do time.

Tenha a missão de melhorar sempre

Ninguém quer ficar em uma empresa que cultiva os mesmos problemas ano após ano. Os talentos querem atuar em uma empresa que melhore sempre, supere seus pontos fracos e busque por objetivos cada vez mais grandiosos. Do contrário, optam por sair.

Tendo isso em vista, o gestor deve ter a ambição de melhorar sempre e comunicar isso à sua equipe. Não adianta manter o status quo, muito menos sustentar os mesmos problemas. É preciso de uma missão realista, inspiradora e que resulte em melhoria contínua.

Ofereça uma jornada flexível

A jornada de trabalho também pode resultar em turnover. Se os talentos não conseguem equilibrar a vida pessoal e a profissional, tendem a ficar insatisfeitos. No curto prazo, tudo OK. O problema é que dificilmente alguém suporta a insatisfação por longo prazo.

Por essa razão, é interessante somar flexibilidade ao expediente. Foque os resultados, e não o tempo trabalhado. Ofereça metas desafiadoras para os talentos e permita que trabalhem de maneira flexível. Táticas como banco de horas e trabalho remoto podem ajudar muito.

Qual o papel do recrutamento e seleção?

Uma última dica — talvez a mais importante e, por isso, apresentada com ênfase — é promover um ótimo processo de recrutamento e seleção. Boa parte dos profissionais que saem da empresa, de forma voluntária ou não, é porque não têm aderência ao negócio.

Se o profissional não compartilha dos mesmos valores da empresa, nem tem as competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) para ocupar o cargo, o resultado mais óbvio é a demissão. Tudo isso, porém, deve ser considerado ainda na seleção.

Portanto, crie um processo de recrutamento e seleção que seja inteligente. Avalie as competências técnicas e comportamentais dos candidatos, se estão alinhadas à cultura organizacional e ao cargo em questão. Dessa maneira, poderá contratar de forma acertada e diminuir o turnover.

Nesse contexto, a tecnologia na gestão de pessoas tem um papel-chave. Ela pode ajudar a atrair os maiores talentos, triar os candidatos mais competentes, além de aplicar testes para análise do perfil comportamental. Logo, cabe ao gestor integrar tecnologias que otimizem a contratação.

Agora que você já sabe como reduzir o turnover na empresa, é hora de colocar nossas dicas em prática. Comece investigando as razões para a demissão e os tipos de turnover. Em seguida, invista na construção de um ambiente de bem-estar, na melhoria contínua e em uma ótima seleção.

Gostou do nosso artigo? Já sabe como diminuir o turnover da sua empresa?Agora, aproveite para deixar seu comentário. Compartilhe suas principais experiências, dúvidas ou sugestões sobre o assunto. Vamos lá!

FALE CONOSCO

Previous Post
Next Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *